A Mulher Afro-Brasileira: escrava e ama-de-leite

A escravatura tirou aos negros a sua condição básica de ser humano, tornando-os objetos de um sistema maior, o sistema económico colonial. Todavia, a mulher negra desempenhou uma multiplicidade de papéis durante todo o período da escravatura, muitos deles contraditórios. A própria reprodução das mulheres negras era tida como antieconómica, uma atitude passível de punição. A gravidez não era lucrativa, reduzindo a capacidade de trabalho das negras. O desinteresse dos senhores face às condições de gravidez e parto das negras escravas, conduziu a um elevado número de abortos e infanticídio. No entanto, elas foram transformadas em amas-de-leite – as famosas mães pretas – sendo inclusivamente alugadas ou vendidas como tal a outras famílias. As crianças negras eram retiradas das mães, entregues a instituições de caridade ou lançadas à morte e à sobrevivência nas ruas. Esta transformação de escrava de lavor em escrava doméstica com funções de ama-de-leite e mãe-preta, negaram-lhe a própria maternidade, passando a constar como peça importante no agregado familiar branco.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s